sábado, 4 de maio de 2013

Cheiro de pão quente da padaria é falso. Pode?


Só faltava essa, depois de adulterarem a percepção das pessoas do que seria um alimento rico ou de valor alimentício ou nutricional correto, real e saudável, impondo um “alimento” – como os do “fast food”, para ficar só neste exemplo – que além do mais não tem nada a ver com a cultura alimentar do país, engana grosseiramente sem que algo seja feito para coibir tais abusos.
Ninguém resiste ao cheiro de pão quentinho quando passa na frente de uma padaria. Não se engane: nem sempre o cheiro é genuíno. Muitas vezes, é só um aroma criado com o intuito de atrair consumidores. Há 14 anos, a empresa Aromas e Cia desenvolve aromas para o varejo: cheiro de pão quente, chocolate com baunilha, quentão e brigadeiro são algumas das opções.
Os aromas "inusitados" respondem por 20% do faturamento da empresa. Em 2012, a empresa vendeu R$ 3,5 milhões em aromas diferenciados. Este ano, o montante deve chegar aos R$ 4,2 milhões. "Desenvolvemos o aroma de acordo com a necessidade do cliente", conta a diretora da empresa, Rosana Hollo.
No caso do cheiro de pão fresco, foi um pedido do sindicato do setor. "Os fornos são lacrados e muitas vezes ficam distantes do ponto de venda. Você não sente mais aquele cheiro gostoso do pão assado na hora", conta Rosana. Uma pesquisa feita em padarias mostra que a aromatização artificial aumentou as vendas em 60%. (Por Charles Nisz)
Embora o consumo do pão já esteja arraigado nos hábitos da população, existem opções melhores e mais saudáveis para acompanhar o café ou compor o desjejum de todo dia.

Se gostou deste post, subscreva o nosso RSS Feed ou siga no Twitter, para acompanhar as nossas atualizações 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá!

Bem vindo, a sua opinião é muito importante.