domingo, 30 de outubro de 2011

Depois dos EUA, Portugal é o maior em depressão no mundo

A depressão já foi considerada o mal do século. As causas são bastante controvertidas e em países como Portugal ela, ainda, não foi ‘conceituada’ devidamente como mostra o artigo, o que, aliado aos preconceitos e estigmatizações sociais ela se alastra e não é “combatida” como deveria. Os tempos econômicos difíceis, com as dificuldades econômicas pessoais, o desemprego e as crescentes “necessidades” de consumo, talvez sejam o denominador comum entre o maior e o 2º lugar em casos de depressão no mundo.

Portugal é o país da Europa com maior taxa de depressão e o segundo maior do mundo, mas estima-se que um terço das pessoas com perturbações mentais graves não esteja tratada.
Segundo os dados revelados à Lusa pelo coordenador português da Aliança Europeia Contra a Depressão, o psiquiatra Ricardo Gusmão, os Estados Unidos é o único país que fica à frente de Portugal em taxa de depressão e perturbações mentais no geral.
«Parece que a conhecida melancolia portuguesa tem uma tradução psiquiátrica», reconhece Ricardo Gusmão.

Mas, apesar de o consumo de antidepressivos ser muito mais elevado em Portugal do que noutros países, continuam a existir muitos doentes graves sem tratamento.

«A mais grave consequência do não tratamento da depressão é o suicídio e a maioria dos suicídios ocorre no contexto de depressão», recorda o médico, em entrevista à Lusa, a propósito do Dia Europeu da Depressão, que se assinala sábado.


Se gostou deste post, assine o nosso feed RSS Feed ou siga no Twitter, para acompanhar as nossas atualizações

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá!

Bem vindo, a sua opinião é muito importante.